Sobre Denise

O Projeto Brempex entrevistou a baiana Denise Cardoso de Souza, mais uma mulher empreendedora e que serve como exemplo de determinação e inspiração para nós.

Denise Cardoso de Souza

ESTETICISTA

https://www.facebook.com/dssence.estetica/

No exterior
MINHA HISTÓRIA

Fale um pouco sobre você, Denise.

Bem, meu nome é Denise Cardoso de Souza, tenho 40 anos e sou natural de Vitória da Conquista, na Bahia. Sendo a mais nova de 8 filhos, com 20 anos fui morar em Belo Horizonte para trabalhar como recepcionista e tentar algo pro futuro. Mas com dificuldades, após 3 anos retorno para minha cidade, e novamente fui trabalhar como recepcionista/caixa de loja de roupa na minha cidade. Minha irmã mais velha morava em Londres e na tentativa de me ajudar, insistiu e apoiou a minha saída do Brasil e fui para Londres em junho de 2003, deixando a minha cidade e família com o intuito de retornar.

E o que você fazia antes de vir morar no exterior?

Trabalhava normalmente como atendente e recepcionista após concluir o 2ª Grau de Magistério.

Tem família em Portugal?

Sim, sou casada e tenho 2 filhas, uma de 11 e outra de 6 anos.

Por que escolheu continuar vivendo na Europa, mesmo querendo retornar ao Brasil?

Então, num primeiro momento eu queria apenas ter experiência de vida e algum crescimento pessoal, mas no período em que estive na Inglaterra, conheci meu esposo e meu destino mudou completamente.

E o que você faz hoje em Portugal?

Há 7 anos, entrei de vez no mundo da estética, já estando em Portugal. Fiz meu curso na Escola Europeia de Estética e, desde então, tem sido a minha profissão. Após concluir o meu curso, fui trabalhando em alguns salões, e na área de beleza acabamos tendo esse sonho grande de sermos autônomas. Daí fui me dando conta que, com duas meninas em casa, esposo trabalhando fora do país, os horários complicavam muito.
Foi quando comecei a princípio atendendo em minha casa algumas clientes que conhecia, mas com o tempo fui percebendo que não é a mesma coisa (atender em casa). Foi aí que o meu esposo e eu começamos a conversar sobre a possibilidade de abrirmos o meu próprio espaço, e no início de 2017, começamos a procura de lojas, fiz um plano de negócios, estudo de mercado, procurei e contactei algumas franquias na área da estética.
Pensava que talvez seria mais sólido ter uma imagem e nome já prontos para ingressar no mercado, mas com os altos valores de investimentos, comecei logo a descartar essa hipótese. Então, parti para criar a minha própria empresa, criar uma imagem corporativa, nome do espaço, logotipo, escolher as cores…olha, foi um trabalho que fiz em 3 meses e valeu MUITO a pena! Foi a melhor decisão, até que, com a junção da mente brilhante do meu esposo e minha irmã Deise, criamos o nome D´SSENCE.
A D´SSENCE fez a sua inauguração em 22 de junho de 2017. Um espaço simples, pequeno, mas cheio de luz e cor!

Como foi o início da sua vida no exterior como empreendedora? Que barreiras encontrou? Seus maiores desafios, quais foram?

Quando abri o meu próprio negócio, já estava numa fase boa como estrangeira, conhecendo bem o povo português, bem inserida na cultura e adaptada ao país. Os clientes portugueses não são complicados, são menos exigentes que as brasileiras (minuciosas aos detalhes). Como Portugal tem tido um grande fluxo de imigração de estrangeiros europeus, tenho sido desafiada a aprender mais outras línguas (hoje tenho clientes belgas, francesas e suíças).

Como o seu serviço é visto no mercado internacional?

Bem, as brasileiras, no geral, são muito bem vistas na área da beleza, ou seja, parece que já nascemos com esta facilidade para aprender e trabalhar nesta profissão. No entanto, a estética na Europa é diferente, e temos que ir nos adaptando a algumas coisas que vão surgindo no Brasil e que trazemos para aqui. Aqui em Portugal, vemos muitas brasileiras esteticistas e cada vez mais sendo empreendedoras, e com sucesso nesta área.

Que conselho daria as futuras empreendedoras sobre a área em que atua e sobre como é empreender no exterior?

Aqui em Portugal, uma brasileira profissional na área tem grande sucesso. Se quiser ter seu próprio negócio, vai precisar ter um diferencial, pois há muitas colegas brasileiras na área, e muita concorrência em geral. Basicamente, o tipo de empreendimento que mais se tem é salões e centros de estética, de norte a sul, e ser mais uma no mercado não vale a pena, tem que ter um diferencial.

O que gostaria de ver melhorado no setor da beleza no exterior?

Tenho cidadania portuguesa, mas mesmo uma brasileira tendo visto de residência consegue abrir o seu próprio negócio, e facilmente se faz abertura de empresa. Não é complicado. Penso que nisto há até uma aposta do Governo para o empreendorismo.
Em Portugal, a concorrência desleal é meio absurda, já se tem preços baixissimos no mercado. Uma profissional investe muito em formação profissional, em bons produtos e a cada dia os preços dos trabalhos realizados estão baixissimos.
No entanto, comentários positivos acerca de meu trabalho são uma constante no meu espaço, nunca passei por nenhum tipo de situação constrangedora. Muito pelo contrário, nossos serviços tem uma aceitação incrível!

Quer fazer parte do nosso Projeto?

© 2020 Brempex 

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram